Tempo de Ternura

             
                   Hoje é tempo de ternura.  
                 Vida imaginada, e não vivida, é vida suposta. Suposição que não acontece, isso sim, é perder tempo. Vidas supostas se esvaziaram, viraram casca. Vidas supostas desistiram antes e nem perceberam. Vidas supostas vivem entre o cinza e o desbotado. Vidas imaginadas se desmancham com o tempo. Hoje é o tempo vida da plena. Vida cheia de ternura.
               Tempo de ternura consigo. Sair daquela correria das tarefas diárias para "perder" tempo respirando um pouco. "Perder" tempo com as doces gentilezas a si mesmo. Fugir da gincana diária exaustiva e ler aquele livro que já está esperando por um tempinho. Tempo de ternura é bom para fotografar detalhes, buscar nuances e descobrir olhares novos pro mundo de sempre. Hoje é tempo de "perder" tempo uma tarde inteirinha passando pano nas capas dos livros e organizando CDs um a um. Enquanto vai ouvindo músicas, folheando livros antigos. Tempo terno esse de "perder" tempo tomando um café de padaria. Hoje é tempo de levar a manhã toda escolhendo o local perfeito para pendurar seus quadros e terminar de decorar a sala. De sair pra caminhar sem a pressa de ter que chegar logo, de meditar no sol do parque  De olhar a vida passar morna e preguiçosa.  Hoje é tempo de ternura com o outro. "Perder" tempo colocando filho na cama,  contando histórias até os dois serem adormecidos pelo cansaço. Ensinar a andar de bicicleta e fazer castelos na areia. Tempo terno de "perder" tempo pegando um cineminha, andando de mãos dadas no final de tarde. Tempo de ternura a ser perdido assistindo futebol, andando de moto ou mergulhando no mar. Hoje é tempo de "perder" tempo vendo a apresentação de ballet, o torneio de taekendo,  a competição de natação,  feira de livros  ou a apresentação de ginástica olímpica. "Perder" a manhã preparando um prato delicioso pra todos comerem todos  juntos à mesa... colocando o papo em dia e de rir juntos. Tempo de "perder" tempo vendo um pôr de sol na beira da praia ou na varanda de casa. Tempo de distribuir sorrisos, espalhar simpatia e emprestar os ouvidos.  
            Hoje é tempo de ternura. Da ternura que não economiza esforços. Ternura que transborda preenchendo a vida. Hoje é o tempo exato que temos para devolver ternura as nossas vidas e cor as nossas almas. Tenhamos mais coragem , porque  hoje é tempo de ternura.